Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

My truth

A minha verdade. O que sinto e vejo. O que sou.

Book review #3 | Rendi-me à escrita de José Rodrigues dos Santos e ao seu "Vaticanum"

28.09.18, #RapazSecreto

 

Não haverá nenhum português que não o conheça, quer pelo facto de ser o principal rosto da informação da RTP, quer pelos variados livros que escreveu e que foram um verdadeiro sucesso. Creio, aliás, que é o autor português com maior sucesso e estabilidade de vendas.

 

Sei que, desde há vários anos, tinha algum preconceito quanto aos livros de José Rodrigues dos Santos. Surgiu depois de ter ouvido um outro autor dizer que o sucesso dos seus livros se devia ao facto de pegar num tema que fosse alvo de atenções, num dado ano, e de escrever sobre ele. Por outras palavras, vendia mais pela curiosidade sobre o tema em si do que pelo brilhantismo da sua escrita.

 

Há um ano, uma grande amiga minha emprestou-me o livro Vaticanum, depois de me ter dito que era excecional, mas entre aulas e afazeres, ficou a ganhar pó na prateleira, até ao início deste mês. Até que o comecei a ler e o devorei em três ou quatro dias.

 

Vaticanum é um livro extremamente bem desenhado, sendo que a trama se torna credível, pelo facto de incluir imensos dados factuais, quer do ponto de vista das instalações do Vaticano, quer dos acontecimentos históricos que eu desconhecia. Simultaneamente, expõe as fragilidades e mentiras da maior Igreja do mundo, os interesses desonestos, a utilização das esmolas para benefício próprio, os esquemas, crimes e afins. Naturalmente, tudo isto (como é no final explicado) pressupõe uma longa investigação e preparação. 

 

De resto, as personagens são detalhadamente construídas e todo o enredo está pormenorizadamente conectado. Não há capítulos desinteressantes ou desnecessários, o que justifica o facto de, apesar das suas 600 páginas, ser um livro que se lê com extrema facilidade. Para além disso, ao final de cada capítulo, somos sugados pela nossa curiosidade para o capítulo seguinte.

 

Ao autor que um dia ouvi criticar José Rodrigues dos Santos, hoje, saber-lhe-ia responder com conhecimento de causa. Alguém que tem a capacidade de escrever um livro viciante, envolvente, bem fundamentado e criado em torno de factos reais, só pode ser um bom escritor.

 

Vaticanum está no top 5 dos melhores livros que já li e José Rodrigues dos Santos é um autor cujas restantes obras quero conhecer.

 

- - - - -

 

NOTA: 5/5

 

SINOPSE

Um comando do estado islâmico entra clandestinamente no Vaticano e o Papa desaparece. Horas depois surge na internet um vídeo em que os terroristas mostram o Sumo Pontífice em cativeiro e fazem um anúncio chocante: O PAPA SERÁ DECAPITADO EM DIRECTO À MEIA-NOITE. O relógio começa a contar. O rapto do Papa desencadeia o caos. Milhões de pessoas saem à ruas, os atentados sucedem-se, multiplicam-se os confrontos entre cristãos e muçulmanos, vários países preparam-se para a guerra.

Apanhado no epicentro da crise quando trabalha nas catacumbas da Basílica de São Pedro, Tomás Noronha vê-se envolvido na investigação para descobrir o paradeiro do Papa e cruza-se com um nome enigmático: OMISSIS. A pista irá conduzi-lo ao segredo mais sombrio da Santa Fé.

Usando informação genuína para nos revelar o que se esconde nos bastidores do Vaticano, o escritor preferido dos portugueses está de regresso com o thriller do ano. Com Vaticanum, José Rodrigues dos Santos mostra mais uma vez por que razão é considerado mestre do mistério real.

 

12 comentários

Comentar post